Quando é para ser… É!

E quando é para ser, é!

Dá certo, mesmo tendo tudo para dar errado. Acontece, mesmo com o mundo conspirando para não acontecer. Flui, mesmo cheio de obstáculos no caminho. Quando é para ser, a coisa vai lá e simplesmente é.

Então, acalma esse coração e espera. Não adianta sofrer antes da hora. Não adianta querer prever o futuro. Não adianta querer mudar o futuro que ainda nem aconteceu.

É clichê, mas o tempo é e sempre será o melhor remédio. Tenha paciência. Deixa as coisas irem rolando. Faz sua parte e deixa o universo se encarregar do resto. Pode acreditar: ele sempre se encarrega e cuida para que o melhor nos aconteça.

E então, vai lá viver enquanto você espera! Vai colocar o pé na areia e depois molhar ele no mar, sente o sol batendo no rosto. Toma um banho de mar, de rio, de cachoeira… Vai correr no parque, tomar uma cerveja no bar da esquina, ou um suco de laranja se você gostar mais… Pede aquela porção de fritas e aí, na outra  segunda, você volta pra dieta. Compra uma roupa nova, um sapato novo e fica linda! Ou fica linda com o que tem dentro do armário mesmo… Se arruma, se produz  e vai lá tomar um banho de chuva… Deixa a chuva lavar sua alma e te preencher com muita paz… Aquela paz toda que você merece.

 

Oi.

Engraçado como as coisas acontecem na nossa vida, né?

Bom, eu tô lendo aquele livro da Isabela Freitas. O “não se iluda não” e tem aquela estória da personagem que escreve um blog em anonimato e tudo mais, pra poder desabafar sobre a vida. E adivinhem? Pois é. Me inspirei na personagem e quis fazer igual.

A minha cabeça anda meio bagunçada sabe?

Basicamente é o seguinte: eu tenho um namorado. Estamos juntos à dois anos, um mês e onze dias, pra ser bem exata. Nosso relacionamento é bastante complicado. É ele uma pessoa insegura, ciumenta, possessiva, mimada e extremamente controladora. Tem o lado bom dele que cara, é sensacional. Mas o problema é que ele só é assim quando quer.

Nunca estamos em uma maré tranquila, de só curtir coisas boas e tal. Sempre rola alguma discussão, alguma coisa que eu fiz que incomodou e essas coisas todas.

Eu gosto dele demais! Demais mesmo. E sei que ele sente o mesmo por mim. Só que o cara simplesmente não sabe lidar com tudo que ele sente e acaba agindo igual louco e me deixando louca também.

O “não sei falar em voz alta” é bem o literal da frase mesmo. Não sei. Não sei colocar pra fora tudo que tá aqui dentro. Guardo pra mim. Sempre. À sete chaves. No mais profundo do coração. E fiz esse cantinho aqui só pra poder desabafar. Pra poder falar sabendo que não vai ter ninguém do outro lado me julgando.

E espero conseguir me expressar e me entender melhor.